A relevância dada às palavras “amor” e “sexo” nos conteúdos noticiosos produzidos e divulgados nos media em Portugal foi a pergunta que marcou o ponto de partida para um dos últimos estudos da Cision Portugal.

Nesta análise tentámos perceber qual o verdadeiro destaque dado pelos media portugueses aos temas “amor” e “sexo”, tendo em conta os conteúdos noticiosos gerados e associados a cada um deles. E a principal conclusão do estudo seria, para muitos, uma surpresa. Este grupo de onde me incluo, totalmente imprevisível, na medida em que à partida diria que o resultado esperado ser ser a de que nem tudo o que  a de que os media falam muito mais de “amor” do que de “sexo”.

A Cision registou, desde o dia 1 de janeiro de 2015,  109.740 artigos com a referência à palavra “amor”, nos meios de comunicação social portugueses. Já em relação à palavra “sexo”, o total de artigos registado fica-se pelos 42.043. Ou seja, aproximadamente 72% do total de artigos devolvidos nesta pesquisa falavam de amor e apenas 28% abordavam, de alguma forma, o tema sexo. Mas em que situações é mais frequentemente utilizada cada uma destas duas palavras?

Através de uma tecnologia inovadora de text data mining , que permite extrair informação qualitativa relevante de textos informativos, a Cision identificou ainda as dez palavras que mais vezes estão presentes nos conteúdos que desenvolvem os temas “amor” e “sexo” divulgados pelos media portugueses. Relativamente ao tema “amor”, as palavras “música” e “mulher” são as que mais vezes aparecem associadas ao nível de conteúdos noticiosos gerados. Curiosamente, a palavra “mulher” é também a palavra que mais vezes aparece nos conteúdos quanto o tema é “sexo”, seguida pela palavra “estudo”, que se explica pela utilização da palavra na segmentação demográfica de sondagens e outros estudos. Palavras como “família”, “cinema” e “corpo” são ainda comuns a “amor” e “sexo”, estando, em ambos os casos, dentro do top destas duas temáticas. Outro facto curioso é o de que, ao falar-se de “amor” nos media, é frequente encontrar associadas as palavras “pai” e “mãe” aos conteúdos. Já ao falar-se de “sexo”, as palavras “casamento” e “relações” estão entre as mais presentes nos artigos divulgados.

Numa pesquisa realizada paralelamente, nos media de 30 países, espalhados um pouco por todo o globo, e cujos meios online são amplamente monitorizados pela Cision, as conclusões parecem confirmar as conclusões registadas no caso português. A tendência generalizada é que o “amor” supere o “sexo” nos media. Com as palavras a serem pesquisadas nas diversas línguas dos países analisados, observa-se que a palavra “amor” está presente em maior número de artigos noticiosos produzidos pelos meios de informação analisados.

Após análise da informação recolhida nos media online de países como o Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha, China, Japão, Índia, Brasil, Austrália, Rússia, entre outros, esta visão, aparentemente mais “romântica” dos conteúdos noticiosos divulgados pelos media, parece ganhar forma ao perceber-se que, dos mais de 16 milhões de artigos recolhidos com referências a “amor” e a “sexo”, mais de 12 milhões são precisamente sobre o “amor”, sendo os restantes sobre “sexo”.

O objeto de análise deste estudo, realizado pela Cision – líder global em serviços de media intelligence – foram todas as notícias com referência às palavras amor e sexo, veiculadas no espaço editorial português, em mais de 2000 meios de comunicação social (televisão, rádio, online e imprensa).

Foram ainda encontrados 16.540.206 artigos nos media online de 30 países previamente selecionados, com as palavras “amor” e “sexo” traduzidas para as respetivas línguas oficiais. Esta informação foi recolhida pelo sistema de monitorização global da Cision que analisa diariamente mais de 85.000 sites de informação online em todo o mundo.

O período destas pesquisas foi o período decorrido entre dos dias 1 de janeiro e 27 de outubro 2015.

pblizniuk@themxgroup.com'

About Admin Name

Pellentesque habitant morbi tristique senectus et netus et malesuada fames ac turpis egestas. Vestibulum tortor quam, feugiat vitae, ultricies eget, tempor sit amet, ante. Donec eu libero sit amet quam egestas semper. Aenean ultricies mi vitae est.