COMUNICAÇÃO SOCIAL

Comissão de Trabalhadores da Lusa alerta para as consequências informativas dos problemas financeiros da agência


30 de novembro – Em comunicado, a Comissão de Trabalhadores (CT) da Lusa avisa que “a cobertura informativa regular” e a “capacidade de resposta para situações inesperadas” podem ficar comprometidas pelos problemas financeiros assumidos por Nicolau Santos, presidente do conselho de administração. A CT da agência noticiosa portuguesa acrescenta que também a cobertura de “eventos específicos programados para 2020 mas que implicam custos elevados” pode estar em risco.

Viagens do Presidente da República e do primeiro-ministro, o Europeu de Futebol e os Jogos Olímpicos são os exemplos de eventos em risco nomeados no comunicado da CT da agência de notícias. Nicolau Santos afirma que tem tentado persuadir os poderes públicos a aumentar a proposta orçamental, que, em 2019, sofreu um corte de 460 mil euros, de acordo com o comunicado da CT da Lusa.

Artigo de Márcio Paiva, Researcher Trainee, Cision

42% dos grupos de media aumenta receitas em 2018 e 69% apresenta lucro

5 de dezembro – A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) apresentou os dados obtidos na “análise económico-financeira de media em Portugal 2018”, que indicam que, no ano transato, 42 por cento das empresas detentoras de órgãos de comunicação social com registo na ERC viu as suas receitas aumentarem e 69 por cento registaram lucro nesse período. De acordo com a ERC, as empresas detentoras de rádios e publicações impressas foram as principais responsáveis pelo facto de mais de metade dos grupos económicos não terem aumentado receitas.

A entidade reguladora ressalva que 37% das empresas com órgãos registados na ERC não têm a comunicação social como principal atividade económica e que as empresas de media são de pequena dimensão, regra geral (51% dos grupos apresentam um valor de ativo inferior a 100 mil euros).

Artigo de Márcio Paiva, Researcher Trainee, Cision

Prémio Nacional de Jornalismo de Inovação: vencedores da segunda edição anunciados

2 de dezembro – Rui da Rocha Ferreira (Diário de Notícias), Joana Ascensão (V digital), Inês Rocha (Renascença) e José Furtado (Reconquista) foram galardoados na edição de 2019 – a segunda – do Prémio Nacional de Jornalismo de Inovação (PNIJ). O jornalista do DN venceu na categoria “Nacional Escrito”, com a reportagem “Um dia o smartphone vai salvar-lhe a vida”. Nas categorias de “Nacional Audiovisual” e de “Nacional Multimédia”, os laureados foram Joana Ascensão, do V Digital, e Inês Rocha, da RR, respetivamente. A primeira venceu com a reportagem “Os incêndios matam abelhas. Isso afeta-nos mais do que pensa”, enquanto a segunda viu premiado trabalho “Como os algoritmos podem ajudar a salvar o mundo”.

Por último, José Furtado, do Reconquista, venceu no âmbito dos meios de comunicação regionais, com a sua reportagem “Tecnologia não assusta idosos de Escalos de Baixo”. Os prémios, no valor individual de quatro mil euros, visam “incentivar e valorizar o jornalismo que tem impacto positivo na sociedade”, consta no site da Agência Nacional de Inovação (ANI), promotora dos galardões. Na segunda edição, a ANI teve o apoio da ERC e do Sindicato dos Jornalistas.

Artigo de Márcio Paiva, Researcher Trainee, Cision

Hemeroteca Digital do Algarve – o arquivo de jornais e revistas editados desde 1810 na região

3 de dezembro – Idealizada por Luís Guerreiro, investigador de história local e regional, entretanto falecido, e aprovada em 2017, a Hemeroteca Digital do Algarve vai ser apresentada publicamente a 8 de dezembro de 2019. Trata-se de um arquivo em linha que vai reunir centenas de publicações editadas no Algarve desde 1810. O espólio de imprensa da região mais a sul de Portugal vai, assim, estar disponível e concentrado num só espaço digital. A coleção, que será gerida pela Biblioteca da Universidade do Algarve, contemplará em 2019 os jornais e as revistas publicadas entre 1810 e 1949. As publicações seguintes serão disponibilizadas nos anos vindouros.

Artigo de Márcio Paiva, Researcher Trainee, Cision

INFLUENCIADORES

Faleceu Carlos Amaral Dias, antigo colaborador da TSF e comentador do Janela Discreta, da Antena 1

3 de dezembro – Na manhã de 3 de dezembro, morreu Carlos Augusto Amaral Dias, na ambulância que o transportava para o hospital. Destacou-se como psicanalista e professor universitário, tendo, no entanto, marcado presença no panorama mediático português. Entre 1990 e 2003, Carlos Amaral Dias dirigiu quatro programas na TSF: “Esta inquietante estranheza”, “O Inferno Somos Nós”, “Freud e Maquiavel” e “A Espuma dos Dias”, com Fernando Alves. Na Antena 1, participou na série de programas de debate “Janela Discreta”, em 2012.

Carlos Amaral Dias foi ainda presidente da Sociedade Portuguesa de Psicanálise e da Sociedade Portuguesa de Psicodrama Psicanalítico de Grupo, diretor da Revista Portuguesa de Psicanálise, vice-presidente da Academia Internacional de Psicologia e coordenador do Nusiaf. Aos 73 anos, faleceu a caminho do hospital, tendo o INEM aberto inquérito às circunstâncias da morte do ex-diretor do Instituto Superior Miguel Torga.

Artigo de Márcio Paiva, Researcher Trainee, Cision

BASE DE DADOS CISIONPOINT – DATABASE

Total de Meios e Influenciadores 18 995
Meios 5 926
Influenciadores 13 069
Meios monitorizados para Clipping e Análise 2 451
Registos unívocos atualizados na semana 1 070
Total de atualizações da semana 4 061

About Ana Faustino

Research Team Leader da Cision Portugal, coordena o departamento responsável pela recolha de dados sobre Influenciadores (meios de comunicação social, autores - produtores de conteúdos editoriais - e influenciadores digitais). É, ainda, responsável pelo relatório anual do Panorama dos Media.
Licenciada em Comunicação Social, trabalha em media intelligence, desde 2015.
Gosta de novos desafios, aprender novos programas, funcionalidades, idiomas e trabalhar em novos projetos.
Dança, música, literatura e viagens são a forma favorita de passar o tempo livre.