MEIOS

O Covid 19 e os media

20 de março – Com a maioria da população portuguesa resguardada em casa, na tentativa de abrandar ou conter o contágio do novo coronavírus, a interação com os media também sofreu alterações.

A Cision comparou os dados das audiências de Televisão das segundas-feiras de 9 e 16 de março (pré e pós período de quarentena) e a audiência acumulada de véspera, de todos os canais, registou uma subida de 32,85%. Todos os períodos horários registaram um aumento de audiência, exceto o das 7h da manhã; o bloco horário que obteve maior aumento percentual, 91,5%, foi o das 11h da manhã.

Analisámos, ainda, a audiência acumulada de véspera e a audiência média dos canais RTP 1, SIC, TVI, RTP 3, SIC Notícias, TVI 24 e Canal Panda, nas mesmas datas.
A SIC manteve-se a estação preferida pela maioria dos telespetadores, seguida pela RTP 1 e TVI. Nestes canais, os blocos informativos têm, agora, maior duração, dada a utilidade pública, a procura de informação credível, mas, também, pelo facto de se encontrarem suspensos os eventos desportivos, bem como a gravação ou transmissão de vários programas de entretenimento.
O canal da cabo CM TV alcançou a maior subida percentual, 85,74%, e, durante esta semana, chegou a ultrapassar, nalguns momentos, a audiência da TVI; a SIC Notícias conseguiu um aumento de 85,14%. O Canal Panda registou a subida mais tímida, de 3,98%, o que pode indiciar, entre outros motivos, que a maioria das crianças preferira suportes alternativos de entretenimento, como telemóveis e tablets, como tem vindo a ser tendência, nos últimos anos.

Nos meios Online, analisámos os meios informativos com mais visitas, em 2019: Sapo, Bola, Notícias ao Minuto e IOL, comparando as visitas médias diárias nos dias 9 e 16 de março, constatando um ligeiro decréscimo médio de visitas diárias, de 0,36%, mas com variações de audiência bem díspares, entre meios. Era espectável a descida de visitas nos meios desportivos, uma vez que os eventos desportivos se encontram suspensos, mas o site da Bola (-8,22%) não foi o que registou maior queda, mas, sim, o da IOL (-10,19%). O Sapo conseguiu um aumento de 4,8%, mas a maior subida foi do Notícias ao Minuto, com 12,19%.

Não existem, ainda, dados oficiais de audiências de Rádio e de circulação de Imprensa, mas a Imprensa, em suporte de papel, conta com dias ainda mais difíceis, uma vez que várias pessoas evitam objetos não essenciais que tenham estado ao alcance de desconhecidos e que vários pontos de venda de jornais e revistas se encontram encerrados – o que levou a um pedido, por parte do Sindicato dos Jornalistas ao Governo, para que seja garantida a entrega de jornais em zonas interditas. Ainda assim, o Expresso anunciou um aumento de vendas, relativo ao último sábado, dia 14, tanto em suporte de papel, como digital, o que reforça a ideia de que a população procura informação fidedigna junto dos meios de comunicação social tradicionais. O aumento da circulação digital e de visitas nos sites parece o caminho mais provável para a Imprensa, por estes dias, abrindo, em muitos sites, conteúdos fechados, relativos ao Covid 19.
Aguardamos dados relativos às audiências da Rádio, mas é de esperar uma descida de audiência nos períodos habituais de maior trânsito rodoviário; a principal curiosidade é saber, se em teletrabalho e com as opções disponíveis, a população mantém, também, a Rádio como fonte de companhia.

Artigo de análise e opinião de Ana Faustino, Researcher, Cision

BASE DE DADOS CISIONPOINT - DATABASE

Total de Meios e Influenciadores 18.621 
Meios 5.778 
Influenciadores 12.843 
Meios monitorizados para Clipping e Análise 2.428 
Registos unívocos atualizados na semana 1.051 
Total de atualizações da semana 4.845

About Ana Faustino

Research Team Leader da Cision Portugal, coordena o departamento responsável pela recolha de dados sobre Influenciadores (meios de comunicação social, autores - produtores de conteúdos editoriais - e influenciadores digitais). É, ainda, responsável pelo relatório anual do Panorama dos Media.
Licenciada em Comunicação Social, trabalha em media intelligence, desde 2015.
Gosta de novos desafios, aprender novos programas, funcionalidades, idiomas e trabalhar em novos projetos.
Dança, música, literatura e viagens são a forma favorita de passar o tempo livre.