Rádio Sénior, da Pampilhosa da Serra, disponível online a 1 de outubro

O novo projeto digital de comunicação da Santa Casa da Misericórdia de Pampilhosa da Serra, a Rádio Sénior, vai começar a ser transmitida, na internet, no dia 1 de Outubro.

Privilegiando o meio Rádio, o projeto pensado e dinamizado “de seniores para seniores“, quebrando tabus e estereótipos à cerca da terceira idade, pretende dar “voz” aos de mais idade e apresenta um cariz de intervenção ocupacional, no qual junta conhecimento, informação e tradição, “que reaviva sonhos e memórias“.  A Rádio Sénior pretende, ainda, “estar ao serviço e ao alcance de todos os pampilhosenses espalhados por Portugal e pelo mundo“.

Para além de estar disponível nas redes sociais, será possível aceder às emissões da Rádio Sénior no Spotify, na Radio Box, plataforma internacional de Rádios, myTuner Radio, entre outras plataformas.

Inscrições para Prémio Comunicação Corações Capazes de Construir

Estão abertas as candidaturas para o Prémio Comunicação Corações Capazes de Construir, da associação Corações com Coroa, até 7 de janeiro de 2022. O prémio tem como objetivo distinguir os trabalhos jornalísticos que se destaquem na promoção do conhecimento, informação, sensibilização e proteção dos direitos humanos.

São admitidos a concurso trabalhos sobre Igualdade de Direitos, Oportunidades e de Género, Inclusão Social, Discriminações, Violência com base no Género, Cidadania e Desenvolvimento, difundidos ou publicados entre 7 de julho de 2020 e 31 de dezembro de 2021.

Os prémios da categoria Jornalismo e da categoria Campanha têm, cada um, o valor de 2.500 euros. Os trabalhos vencedores serão anunciados em cerimónia pública, em maio de 2022.

 

Premiados da 3.ª edição “Analisar a pobreza na Imprensa”

A reportagem A pandemia deixou-os sem chão e sem teto, da jornalista Ana Tulha e dos repórteres fotográficos Pedro Granadeiro e Rui Oliveira, publicada a 23 de agosto de 2020, na Notícias Magazine, foi distinguida com o 1.º lugar, na categoria de Imprensa Nacional, do prémio de jornalismo Analisar a pobreza na Imprensa, atribuído anualmente pela EAPN Portugal/Rede Europeia Anti-Pobreza.

O artigo centrado nas histórias de pessoas que, por causa da pandemia, passaram (ou voltaram) a viver na rua encontra-se, também, disponível no site da Notícias Magazine, publicado a 31 de agosto, com o título Os sem-abrigo da covid.

Na categoria de Imprensa Regional, o 1.º prémio foi atribuído à reportagem sobre inclusão Pedro viveu “quase 30 anos na rua”. Agora, “tem uma cama em condições”, de Maria Anabela Silva, com o fotojornalista Ricardo Graça, publicada no Jornal de Leiria, a 22 de Outubro de 2020. A reportagem premiada conta a história de Pedro Gonçalves, sem abrigo durante quase três décadas, arrumador de carros e com uma vida de vícios, que foi tirado da rua pelo projeto Morada Certa, promovido pela associação InPusar.

De um total de 38 trabalhos jornalísticos (18 nacionais e 20 regionais) apresentados a concurso, a EAPN Portugal/Rede Europeia Anti-Pobreza distinguiu os seguintes:

Categoria Imprensa Nacional

  • 1º Prémio: Jornalista Ana Tulha e Fotógrafo Rui Oliveira, pelo trabalho Os sem-abrigo da CovidNotícias Magazine, 31 de Agosto de 2020.
  • 2º Prémio: Jornalista Gonçalo Fonseca, pelo trabalho O desespero de quem sonha com um teto Expresso, 19 de Setembro de 2020.
  • 3º Prémio: Jornalista Ana Mafalda Inácio e Fotojornalista Paulo Spranger,  pelo trabalho Dever dinheiro a alguém é um factor de risco para a saúde mental Diário de Notícias, 06 de junho de 2020.

Menções honrosas da Categoria Nacional:

  • Jornalista Andreia Friaças e Fotógrafo Nuno Ferreira Santos, pelo trabalho Mulheres sem-abrigo não querem ser “invisíveis” — e estão a ganhar vozPúblico, 26 de outubro de 2020.
  • Jornalista Dulce Maria Cardoso, Fotojornalista Adriano Miranda e Web Miguel Feraso Cabral, pelo trabalho Porque escolhemos não ver os velhos? Público, 20 de dezembro de 2020.

Categoria Imprensa Regional

  • 1º Prémio: Jornalista Anabela Silva e Fotógrafo Ricardo Graça, pelo trabalho Pedro viveu “quase 30 anos” na rua. Agora, “tem uma cama em condições” Jornal de Leiria, 22 de outubro de 2020.
  • 2º Prémio: Jornalista Altino Pinto, pelo trabalho Idosos estão a ser marginalizadosMais Aguiar da Beira, 10 de outubro de 2020.
  • 3º Prémio: Jornalista Maria Simiris pelo trabalho Associação MÔÇES quer integrar grupos de risco pelo artesanatoBarlavento, 8 de outubro de 2020.

Graça Franco e Ana Sousa Dias indigitadas para provedoras da RTP

Segundo a convocatória do Conselho de Opinião da RTP, a que a Lusa teve, ontem, acesso, o Conselho da Administração da RTP indicou as jornalistas Graça Franco e Ana Sousa Dias para os cargos de provedoras do Ouvinte e do Telespectador, respetivamente.

Graça Franco sucederá, assim, a João Paulo Guerra e Ana Sousa Dias substituirá Jorge Wemans, enquanto provedores do canal público. Ana Sousa Dias Dias foi editora de Cultura da Lusa, entre abril de 2009 e maio de 2011. Graça Franco foi diretora de informação da Renascença, entre 2009 e 2020.

O processo está sujeito a parecer vinculativo do Conselho de Opinião da RTP, que se pronunciará sobre os nomes apontados, até ao final do mês. Em novembro, a anterior administração propôs José Alberto Lemos para a provedoria do canal, mas a indigitação foi chumbada pelo Conselho de Opinião.

Programa Cautelar de volta em 2022

O programa da RTP1 apresentado por Filomena Cautela, Programa Cautelar, que alia informação e entretenimento, regressa ao ecrã, em 2022.

Os seis episódios da primeira temporada, emitidos aos sábados à noite, entre junho e julho de 2021, debruçaram-se sobre temas atuais e relevantes na sociedade: desinformação, audiências, racismo, feminismo, alterações climáticas e o estado da cultura.

Para a segunda temporada, ainda sem mês de estreia anunciado, Filomena Cautela perscruta a opinião dos seus seguidores, nas redes sociais, quanto aos temas que gostariam de ver abordados: 2ª TEMPORADA – Declaro aberta a caixa de comentários para deixarem as vossas sugestões de temas caso as tenham. Quero mesmo saber que temas gostariam de ver escrutinados por nós, nos sábados à noite da RTP.

Poucos dias após o final da primeira temporada, a apresentadora anunciou a continuidade do formato, nas redes sociais. A confirmação da segunda temporada surge, agora, reforçada pelo canal estatal, no lançamento da nova grelha para o próximo ano. As gravações terão início ainda este ano.

Interesse nos Debates Autárquicos Televisivos, por Concelho

A Cision apresenta os valores de audiência alcançados nos debates televisivos dos principais concelhos do país, no âmbito das Eleições Autárquicas 2021, por audiência total e pela relação entre a audiência total e o número de eleitores do concelho em debate.

Entre 23 de agosto e 15 de setembro foram transmitidos, principalmente na RTP, mas também na SIC e TVI, 29 debates televisivos relativos às Eleições Autárquicas, que reuniram os candidatos dos 18 concelhos capitais de distrito e, ainda, de Almada, Odemira, Amadora e Figueira da Foz. A maioria destes debates foi emitida apenas nos canais noticiosos das três estações televisivas, reservando a transmissão em simultâneo, no canal generalista e informativo, para os debates relativos a Lisboa e ao Porto.

A Cision reuniu e contabilizou o total de telespectadores de cada um destes debates, na versão original (excluindo retransmissões) e somou os telespectadores dos canais informativos e dos canais generalistas, das emissões em simultâneo.

Os debates transmitidos em simultâneo nos canais generalistas e informativos reuniram, como seria de esperar, maior audiência, com o debate relativo a Lisboa, transmitido na SIC e SIC Notícias, a somar maior número de telespectadores, com 1.128.209, seguido pelo do Porto, emitido pela mesma estação, com 1.101.333 telespectadores, sendo os únicos com audiência superior a um milhão de indivíduos.

Para além de ter sido a cidade com maior exposição nos debates, a capital foi, ainda, o tema em destaque nos debates que conseguiram os 3.º e 4.º lugares deste ranking de audiências, respetivamente com as transmissões da TVI e TVI24, apenas com os candidatos Fernando Medina e Carlos Moedas, reunindo 998.377 telespectadores e da RTP1 e RTP3, com 258.842 telespectadores.

O debate relativo à cidade Invicta, transmitido na RTP1 e RTP3, foi o debate, emitido em simultâneo no canal generalista e informativo, com menor audiência, com 212.692 telespectadores. A estação de Queluz, TVI, emitiu o debate do Porto apenas no canal informativo, obtendo a 11.ª posição deste top.

Dos debates apenas transmitidos nos canais informativos, o líder de audiências foi o debate dos candidatos da Amadora, na RTP3, que granjeou 120.027 telespetadores. Destaque, ainda, para a audiência alcançada no debate com os candidatos à Câmara de Portalegre, o concelho que apresenta o menor número de recenseados nesta análise e que contabilizou 108.943 telespectadores, o 7.º debate mais visto deste ranking e o 2.º, quando considerados os debates os transmitidos apenas num canal (RTP3). A este, seguiram-se os debates dos concelhos de Setúbal e Figueira da Foz, emitidos na RTP3.

Nota para o facto de que os debates com os candidatos a Almada, Amadora e Figueira da Foz foram emitidos na SIC Notícias, no período da manhã.

Castelo Branco, Viana do Castelo e Leiria foram os concelhos cujos debates reuniram menor número de telespetadores, com 22.038, 23.044 e 29.036 visualizações, respetivamente.

 

Tendo em conta o potencial interesse dos debates, considerado através do número de recenseados por concelho, a Cision analisou, ainda, a sua relação com o total de audiência obtido.

Assim, Portalegre (RTP) e Porto (SIC) alcançaram um número de telespectadores mais de cinco vezes superior ao número de recenseados nestes concelhos, o debate de Odemira (RTP) reuniu um número de visualizações mais de três vezes superior ao número de eleitores e os debates relativos a Lisboa (SIC e TVI) obtiveram mais do dobro.

Ainda, os concelhos da Guarda, Figueira da Foz, Bragança, Beja, Santarém, Évora, Vila Real e Porto (todos emitidos pela RTP) conseguiram mais espectadores do que o número de recenseados destes concelhos.

Os debates de Almada e Amadora (SIC), transmitidos durante a manhã, foram os que apresentaram menor rácio telespectadores/número de recenseados no concelho. Excluindo estes, Leiria (RTP), Viana do Castelo (RTP) e Porto (agora considerando a transmissão na TVI) tiveram o menor número de espectadores, face ao número de eleitores.

Como informação complementar, apresentamos a lista dos concelhos em debate ordenada, de forma decrescente, por número de recenseados: Lisboa, Porto, Braga, Almada, Amadora, Coimbra, Leiria, Setúbal, Viseu, Viana do Castelo, Aveiro, Faro, Figueira da Foz, Santarém, Vila Real, Castelo Branco, Évora, Guarda, Bragança, Beja, Odemira e Portalegre.

Nesta análise não incluiu os debates transmitidos em estações de âmbito regional, como o Porto Canal, RTP Madeira ou RTP Açores.

 

Fonte de dados de audiência (consolidada, incluindo visualizações em diferido): CAEM/GfK
Fonte de Recenseados por Concelho: PORDATA (2020)

Valores de audiência consolidada atualizados a 28/09, relativos aos dois últimos debates, transmitidos na RTP (Porto e Lisboa)