Audiências da TVI e TVI24 com a comentadora Joana Amaral Dias

No 12.º aniversário da TVI24, na passada sexta-feira, Anselmo Crespo, diretor de informação do canal, foi convidado do programa Dois às 10, na TVI, onde anunciou a contratação da nova comentadora da TVI e TVI24, Joana Amaral Dias.

Trocando CMTV pela TVI, a psicóloga e ex-deputada conta, desde ontem, com um espaço de análise política e da atualidade, no programa Dilema, juntamente com o comentador Francisco Mendes da Silva, de segunda a sexta-feira, às 23h, na TVI24 e marca, ainda, presença semanal, no programa das manhãs da TVI, Dois às 10, na rubrica Crónica Criminal.

Durante o período em que foi emitida, ontem, a Crónica Criminal, na estreia de Joana Amaral Dias, a TVI reuniu uma audiência média de 588.551 telespetadores, ficando atrás da concorrente SIC, que granjeou, no mesmo espaço temporal, 633.236 telespetadores, mas à frente da RTP1, com 270.122 telespetadores.

No canal informativo, TVI24, a edição de ontem do Dilema, com a presença da ex-deputada, alcançou uma audiência média de 23.306 telespetadores. No período correspondente, a SIC Notícias transmitia uma entrevista a Manuel Castelo-Branco, na Edição da Noite, com 44.621 telespetadores. A RTP3 emitiu O Outro Lado, com José Eduardo Martins, Ana Drago e Pedro Adão e Silva, obtendo 34.579 telespetadores. A edição de estreia do Dilema, na passada sexta-feira, com os comentadores Rogério Alves, Maria João Marques e Miguel Guedes, contabilizou 46.835 espetadores.

Joana Amaral Dias é psicóloga e docente universitária. Foi deputada na Assembleia da República, eleita pelo Bloco de Esquerda; mandatária da juventude de Mário Soares, nas eleições presidenciais de 2006 e candidata à presidência da Câmara Municipal de Lisboa. Publicou vários livros, como Maníacos de QualidadeO Cérebro da PolíticaSonhos PúblicosPsicopatas Portugueses.

No início do ano, a ex-deputada tinha já participado no programa Goucha, da TVI, na rubrica Entre Mulheres.

Fonte de dados: CAEM/GfK

Eleições na RTP

Augusta Henriques, jornalista e apresentadora dos noticiários da tarde da Antena 1, foi eleita, ontem, representante dos trabalhadores no Conselho de Opinião da RTP.

Nestas eleições, em que participaram 55% dos trabalhadores, foi ainda eleito o editor de imagem Alexandre Leandro, como representante no Conselho de Administração.

Mensagem de Lisboa, com Catarina Carvalho e Ferreira Fernandes

Criado por um grupo independente de jornalistas, o novo projeto de jornalismo digital e local, relativo a Lisboa, Mensagem de Lisboa, ficou disponível online esta semana, sob a liderança de Catarina Carvalho e Ferreira Fernandes, respetivamente a ex-diretora-executiva e o ex-diretor do Diário de Notícias. São, ainda, sócios fundadores João Marecos e Tiago Quaresma.

Com sede no café A Brasileira do Chiado, o novo jornal tem, também, como objetivo ser um projeto de jornalismo comunitário, com reuniões de redação aberta no café, mensais, às quartas-feiras, assim que possível e com contacto de proximidade com associações, coletividades, escolas, etc., da região. De acordo com a apresentação, “Mensagem é um projeto de jornalismo feito para, e com, os lisboetas. E são todos: os que se interessam pela cidade, ou a têm no coração.

O Mensagem de Lisboa encontra-se disponível no Facebook (desde 1 de dezembro de 2020), Twitter e Instagram.

Ana Filipa Nunes na Informação da SIC

Após dois anos de participação na Casa Feliz, da SIC, a jornalista e ex-pivô da TVI24, Ana Filipa Nunes, anunciou a despedida neste projeto e o novo caminho, que passa pela equipa de redação da SIC.

“Esta semana terminei a minha participação na Casa Feliz. Foram cerca de dois anos nos programas da manhã. Muitas entrevistas, reportagens, diretos, investigações e até um programa como os “Abraços com História”. Obrigada por todos os desafios e confiança. O caminho segue na informação da SIC. Até já”, revelou na sua conta de Instagram.

Fonte da imagem: Instagram

Marco Galinha eleito presidente da Global Media

Esta quarta-feira, em assembleia geral extraordinária, Marco Galinha foi eleito, por unanimidade, presidente do conselho de administração da Global Media Group, proprietária de meios como o DN, JN e TSF.

O diretor da TSF, Domingos de Andrade e Guilherme Pinheiro compõem a equipa do conselho de administração.

Foram, ainda, eleitos os vogais sem funções executivas, entre eles, António Saraiva.

Marco Galinha, também presidente da administração do Grupo Bel, entrou na Global Media em setembro de 2020 e é, através da empresa Páginas Civilizadas, titular da participação mais pequena (29,75%), entre os atuais acionistas.

Capital da Vasp dividido entre Cofina e Marco Galinha

A concretizar-se a venda de 33,33 por cento do capital da Vasp, por 2,1 milhões de euros, anunciada pela Impresa, neste domingo, a Cofina Media, empresa liderada por Paulo Fernandes, passará a deter 50% do capital da empresa de distribuição de publicações e o restante capital será detido pela Global Media (33,33%) e pela Páginas Civilizadas (16,67%), empresas de Marco Galinha.

A Impresa vende à Páginas Civilizadas e à Cofina, individualmente, 111.000 ações, representativas de 16,665% do capital social da Vasp, pelo preço de 1.050.000 euros.

A Cofina exerceu o direito de preferência em metade da posição da Vasp, após o comunicado da Impresa, de 4 de janeiro, que dava a conhecer a celebração de um contrato-promessa de compra e venda “pelo qual se comprometeu a vender à Páginas Civilizadas, Lda. 222.000 ações, representativas de 33,33% do capital social da Vasp – Distribuidora de Publicações, S.A., pelo preço de 2.100.000 euros”.

A concretização do negócio depende, ainda, de parecer da Autoridade da Concorrência.