Cofina Media avança com despedimento coletivo de 26 trabalhadores

A Cofina Media, proprietária de meios de comunicação social como Correio da Manhã, CM TV, Record, Jornal de Negócios, Destak, Sábado, TV Guia, Flash e Máxima, anunciou a cessação de 26 contratos de trabalho, segundo carta enviada aos trabalhadores, consultada pela Lusa. O grupo contava, em março, com 656 trabalhadores.

A profunda crise que afeta o setor da comunicação social e a perda de volume de negócios no ano passado são os principais motivos apresentados pela empresa liderada por Paulo Fernandes.

O despedimento engloba quatro jornalistas, um fotojornalista, cinco revisores, quatro documentalistas, um coordenador geral de fotografia, cinco colaboradores da área de tratamento de imagem e extingue postos de trabalho na direção comercial.

No caso do Jornal de Negócios, após a saída do diretor André Veríssimo, segue-se, agora, o despedimento dos editores Manuel Esteves, editor de Economia, e Nuno Carregueiro, editor online do jornal.

Na carta enviada aos trabalhadores, a própria Cofina relembra a “profunda reestruturação” com a cessação de 100 contratos, através de rescisões por mútuo acordo e despedimento coletivo, em 2017, que afetou as redações. Na altura, indica a empresa, não se procedeu à reestruturação das áreas de suporte.

Ontem, o Sindicato dos Jornalistas (SJ) lamentou que a administração da Cofina Media tenha recusado o pedido para uma reunião sobre o despedimento coletivo, manifestando solidariedade com os trabalhadores e disponibilizando apoio jurídico aos associados. A estrutura sindical relembra, também, o despedimento coletivo de 65 colaboradores, em 2017.

Vencedores do Prémio Jornalismo em Saúde, Clube de Jornalistas/APIFARMA

No passado dia 7, Dia Mundial da Saúde, foram divulgados os vencedores da quinta edição do Prémio Jornalismo em Saúde, organizado pelo Clube de Jornalistas (CJ), com o apoio da APIFARMA – Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica. O vencedor do Grande Prémio foi atribuído a João Faiões, da SIC, pelo trabalho “Estamos vivos“, que acumula com a distinção do prémio na categoria de Televisão.

Este prémio, criado em 2016, visa distinguir os melhores trabalhos jornalísticos na área da Saúde, difundidos nos órgãos de comunicação social nacionais, nas categorias de Imprensa, Rádio, Televisão e Jornalismo Digital.

O Prémio de Jornalismo em Saúde, do CJ e APIFARMA, tem como objetivo promover a qualidade e a profusão do trabalho jornalístico dedicado à Saúde, com enfoque em aspetos relevantes do Serviço Nacional de Saúde (SNS), na inovação em Saúde e no desenvolvimento económico e social na área da Saúde.

Fonte da imagem: site da APIFARM

Novo Jornal de Guimarães

Na passada sexta-feira, ficou disponível online o novo espaço de informação relativa a Guimarães, o Jornal de Guimarães. O jornal está já disponível em formato digital e conta com uma edição mensal em papel.

A publicação pertence ao grupo RFX e engloba, também, o Tempo de Jogo, de informação desportiva e Reflexo Digital, órgão que retrata a zona norte do concelho, desde 1993.

De acordo com a apresentação do novo jornal, “O Jornal de Guimarães propõe-se a olhar este território a partir de múltiplos ângulos, a escrutinar seus atores e instituições e a traduzir esse exercício para um jornalismo independente e rigoroso, assente no código deontológico da profissão.”

O jornal, presente também, no Facebook, dirige-se a “todos os que guardam esta terra no coração, vivam eles aqui ou em qualquer outro lugar” e convidam quem se interessa por Guimarães a acompanhá-los nesta viagem.

Fonte das imagens: Site e Facebook do Jornal de Guimarães

Andreia Vale de saída da CMTV

Após oito anos a colaborar com o canal televisivo da Cofina, Andreia Vale confirma a saída da CMTV. A jornalista conduzia, diariamente, o espaço informativo de três horas, Jornal da Hora do Almoço.

Andreia Vale estagiou na SIC Notícias, canal com o qual colaborou entre 2000 e 2012, como jornalista e apresentadora, de programas como Edição da Manhã, Edição do Meio Dia, Jornal do Desporto, Jornal de Economia e Opinião Pública; colaborou, também, com a SIC Mulher. Integrou a equipa da CMTV, em janeiro de 2013 . Em 2015, lançou o livro “Puxar a brasa à nossa sardinha” e, em 2016, “Cruz Credo. Bate na Madeira“, ambos dedicados à origem de expressões idiomáticas portuguesas. “Da Boca para fora“, sobre a origem de algumas palavras portuguesas, foi lançado, em 2019.

A jornalista não revelou planos profissionais para o futuro próximo.

Luís Costa Ribas na TVI

Na SIC desde a fundação da estação, em 1992, Luís Costa Ribas foi correspondente dos Estados Unidos da América, em Washington, ao longo de mais de 15 anos e é a mais recente contratação da TVI, para desempenhar o mesmo cargo.

A informação foi divulgada pelo canal de Queluz, no domingo, indicando que foi assinado “um contrato de longa duração que comporta maior estabilidade e perspetivas de futuro para o próprio, ao mesmo tempo que possibilita à TVI reforçar a qualidade da sua equipa de profissionais da Informação“.

A SIC terá tentado travar a saída do jornalista, apresentando uma contraproposta, sem sucesso.

Luís Costa Ribas iniciou o seu percurso enquanto jornalista em 1980, no jornal Tempo. Passou, depois, pela Rádio Renascença, onde conduziu o noticiário internacional. Foi correspondente de vários meios de comunicação social, como Lusa, TSF, Público, O Jornal (mais tarde, revista Visão) e O Independente. Em 1984, com o intuito de integrar a emissora Voice of America, o jornalista parte para os Estados Unidos da América. A cobertura da cimeira Reagan-Gorbachev, valeu-lhe um prémio de Excelência em Radiodifusão, em 1988. Autor de inúmeras reportagens, foi co-autor do documentário SIC/Visão na região ocidental do Texas, sobre a cultura e a terra que produziram George W Bush. Regressou a Portugal, em 2005, para ser repórter sénior. Em 2010, voltou para os Estados Unidos, para ser chefe de redação da rádio Voice of America, mantendo-se como colaborador da SIC e de outros meios do grupo Impresa. Em 2018 lançou o livro “Uma Vida em Directo“.

Nova revista Maia ON

A Câmara Municipal da Maia apresenta, hoje, a nova revista Maia ON, em direto, às 18h, através das redes sociais do Facebook e YouTube da entidade.

A revista dirige-se, especialmente, aos maiatos, de residência ou de coração, do que mais importante e positivo acontece na Maia, dando-lhes a oportunidade de participarem, na vida cultural, social, recreativa, desportiva e política da cidade.

A informação foi divulgada no portal Município da Maia Online, em https://maia.pt/2021/04/01/maia-on-vai-ter-revista/.

Fonte da imagem: Facebook da Câmara Municipal da Maia