Já não é novidade para ninguém. Todos os anos, a chegada do Outono marca também a abertura da “época de caça” às ondas gigantes da Praia do Norte. Alguns dos melhores surfistas do mundo, como o norte-americano Garrett McNamara, o alemão Sebastian Steudtner, o britânico Andrew Cotton ou os brasileiros Carlos Burle, Pedro “Scooby” Viana e Maya Gabeira, mudam-se de armas e bagagens para a Nazaré, desafiando as maiores ondas do mundo, proporcionadas pelo já mítico Canhão da Nazaré. Com eles, chegam também dezenas e dezenas de jornalistas, fotógrafos (profissionais e amadores) e repórteres de imagem que levam os feitos destes atletas aos quatro cantos do mundo. Os vídeos e as fotografias que mostram a dimensão brutal da montanha de água, onde o icónico farol serve de escala, rapidamente se tornam virais nas redes sociais e são publicadas não só pelos meios especializados mas também alguns dos órgãos de referência monitorizados pela Cision, como foi o caso dos italianos La Reppublica e Corriere Della Sera, os britânicos The Telegraph e The Guardian e os brasileiros Estadão e Globo. É assim há anos, mas o fenómeno ganhou proporções maiores desde que, em 2011, McNamara ali bateu o recorde do mundo (feito que repetiu em 2013).

Este ano, o cenário repete-se. A temporada ainda agora começou e a avalanche de notícias sobre os feitos dos destemidos cavaleiros dos mares na vila piscatória portuguesa já se faz sentir. Dos 106 artigos que mencionaram a região durante o mês de Outubro nos meios internacionais que a Cision acompanha, a esmagadora maioria, 72, diz respeito à Nazaré e à sua onda. “Espetacular”, “poderosa”, “monstruosa” ou “incrível” são alguns dos adjetivos usados nos textos para a descrever. O surf deu também grande projeção a Peniche, onde se disputou o Moche Rip Curl Pro Portugal 2015, ganho pelo brasileiro Felipe Toledo.

À margem destas duas localidades costeiras, Coimbra foi o destino que mais se destacou durante o mês passado, com 14 menções. A Lusa-Atenas é, segundo um estudo do Trivago, uma das cidades preferidas pelos turistas franceses que visitam Portugal (a par da Figueira da Foz). Os motivos que fazem de Coimbra uma paragem obrigatória são por demais conhecidos: a Universidade, uma das mais antigas da Europa e Património da Humanidade, a Biblioteca Joanina, considerada das mais bonitas do mundo, e o ambiente académico, que dá à cidade um ambiente que faz lembrar os filmes da saga Harry Potter.

Em relação à origem dos artigos registados pela Cision, foi nos Estados Unidos que mais notícias sobre a região Centro foram publicadas em Outubro: 28. Seguiram-se, sem grande diferença entre eles, Espanha, Brasil, Reino Unido e França. Itália e Alemanha não chegaram à dezena de referências.

Análise elaborada com base nas notícias recolhidas pelo serviço de monitorização de media da Cision, no período compreendido entre os dias 1 e 31 de outubro na Alemanha, Brasil, Espanha, Estados Unidos da América, Finlândia, França, Itália e Reino Unido. Esta pesquisa engloba mais de 58.351 meios de informação online e 53.654 em meios impressos. A Cision é líder global em serviços e software de pesquisa, monitorização e análise de media.

Texto publicado no Diário As Beiras, parceiro editorial da Cision, na sua edição de dia 4 de Novembro de 2015.

About Vasco Garcia

É analista de media na Cision Portugal. É licenciado em Comunicação Social. Está na área da comunicação há 10 anos, seis deles como jornalista.
Gosta de futebol, cinema, viajar, escrever, ler jornais e, como bom Alentejano, gastronomia e vinhos.