A estreia de Cristina Ferreira na SIC, em janeiro de 2019, marcou de forma indelével o cenário das audiências da televisão nacional. Setembro de 2020 marca o regresso da apresentadora à sua “casa-mãe” e, antevendo possíveis oscilações nas audiências, a SIC procurou combater esta mudança com a estreia de novos formatos e com a aposta numa das suas estrelas maiores, Ricardo Araújo Pereira.

Procurámos analisar a evolução das audiências no mês de setembro, para determinar a forma como cada um dos novos formatos apresentados impactou os valores habituais, não só de cada uma das estações, como da concorrência.

Depois de uma presença no “Jornal das 8” de dia 13 de setembro, vista por 1 502 645 pessoas, o regresso de Cristina à TVI teve lugar no “Você na TV” da última segunda feira, dia 21, uma casa onde foi feliz durante quase uma década e meia. Esta emissão especial, que marcou o encerramento de um ciclo, foi apresentada pela dupla que dominou as audiências da manhã durante 14 anos e foi vista por 518 361 telespetadores, um aumento de 65,1% em relação à média de 313 992 telespetadores do “Você na TV, obtida entre os dias 1 e 20 de setembro.

Na passada quarta-feira, dia 23 de setembro, foi dia de estreia do seu novo formato “Dia de Cristina”, um programa que esteve no ar entre as 10h e as 13h e, depois, entre as 16h e as 19h. A liderança nas audiências ficou dividida entre a TVI, que venceu a manhã, e a SIC, que dominou o período da tarde. A emissão matinal do “Dia de Cristina” foi vista por 582 684 telespetadores, um aumento de 62,6%, perante a média de 358 327 telespetadores de televisão, nesse período, durante os dias úteis, entre o dia 1 e 22 de setembro. Nesse mesmo horário, a SIC garantiu 425 107 telespetadores, um número abaixo do da TVI, mas 22,6% acima da média de 346 738 telespetadores de televisão obtida nesse mesmo período, aos dias de semana, entre o dia 1 e 22 de setembro. Já no período da tarde, a SIC apostou numa entrevista a Marco Paulo no programa “Júlia”, que foi a primeira aparição do cantor, após cerca de um ano de afastamento para lutar contra um tumor. No período entre as 16h e as 19h, a SIC foi vista por 541 281 telespetadores, enquanto que a emissão da tarde do “Dia de Cristina”, que contou com uma entrevista a Jorge Jesus, garantiu 436 818 telespetadores. À imagem do que havia acontecido no período da manhã, ambos os canais garantiram audiências superiores aos valores médios habituais, durante a semana, neste mesmo período, entre os dias 1 e 22 de setembro. A SIC subiu 21,3%, dos 446 196 para os 541 281 telespetadores, enquanto que a TVI subiu 31,4%, dos 332 455 para os 436 818.

Nesta guerra das audiências, importa igualmente destacar a estreia da segunda edição do “Big Brother – Revolução” em 2020, na TVI, no passado dia 13, que, na primeira meia hora de programa garantiu uma média de 1 436 415 telespetadores, um valor 78,4% acima dos 805 349 obtidos pela TVI no domingo anterior, nesse mesmo período. Esta estreia, com 1 539 804 telespetadores, foi o programa mais visto de dia 13, garantindo um rating de 15,9 e um share de 30,3% para a TVI, seguido pelo “Jornal da 8”, igualmente da TVI, que, com a presença de Cristina Ferreira no final da emissão, granjeou 1 317 065 telespetadores, que se traduzem num rating de 13,6% e num share de 26,1%.

No que diz respeito às estreias da SIC, o maior destaque vai para o regresso de “Isto é Gozar com Quem Trabalha”, de Ricardo Araújo Pereira, cuja primeira série havia terminado a 28 de junho. Esta estreia, no passado domingo, dia 20, foi vista em por 1 374 895 pessoas, um valor 34,1% acima do obtido pela TVI no mesmo período – 1 025 063 telespetadores – e novamente um aumento de 22,9%, relativamente à média obtida neste período pela SIC nos dois primeiros domingos do mês, que rondou os 1 119 161 telespetadores.

Igualmente em estreia na SIC, na passada terça-feira, dia 22, a rubrica 15/20, apresentada por Conceição Lino, inserida no Jornal da Noite da SIC, obteve uma audiência de 1 183 186 telespetadores. Analisando a média de audiências obtidas pela SIC, nesse mesmo período, nas três primeiras terças-feiras do mês, é possível de verificar um aumento de 5,2% na audiência média do canal, que habitualmente rondava os 1 124 929 telespetadores.

Apesar de todas estas estreias e mudanças no panorama da TV nacional, há algo que se mantém no que diz respeito às audiências de setembro, que é a posição de líder da SIC. Nos primeiros 23 dias deste mês, a SIC liderou 20, sendo suplantada em apenas 3 dias. As três vitórias da TVI foram obtidas nos dias 13, 15 e 23 de setembro e ficaram marcadas, respetivamente, pela entrevista de Cristina Ferreira, no “Jornal das 8” TVI, logo seguida pela estreia da segunda edição do “Big Brother – Revolução”, pela partida “Paok x Benfica”, para a Liga dos Campeões, e pela estreia do formato “Dia de Cristina”.

A análise Cision apresentada baseia-se no número médio de telespetadores que assistiram a cada programa de TV.

Fonte de dados: CAEM/GfK

About Susana Fernandes

Media Researcher, Cision
Formada em Comunicação Organizacional, vesti a camisola da CISION em 2006, tendo tido a oportunidade de trabalhar em áreas tão distintas como as Análises de Media, as Análises de Social Media e, agora, o Media Research.
Adoro comunicar, pessoas do bem, gatinhos fofinhos - há outro tipo?! - e todos os momentos que consigo passar no meu tapete de Yoga, não necessariamente por esta ordem.