Luís Vaz Fernandes, jornalista de multimédia do jornal Observador, venceu a segunda edição do Prémio APAV para o Jornalismo, com a reportagem “Acontece todos os dias” 10 relatos sobre discriminação em Portugal onde são apresentadas as experiências diárias de dez pessoas de diferentes origens e etnias, em vídeo publicado no site do Observador, em março de 2020.

Em comunicado, o júri do Prémio da Associação de Apoio à Vítima para o Jornalismo, que foi unânime na escolha, refere que este trabalho “oferece uma paleta de vozes em discurso direto sobre o racismo e a discriminação. Sem condução nem mediação, o público vê̂-se confrontado com os testemunhos de vários jovens, mais ou menos reflexivos, mais ou menos aprofundados, mas todos indiciando a presença diária da discriminação nas suas vidas, que faz deles e delas vitimas de uma estrutura social que, volta e meia, os olha de lado e põe de parte.”

De salientar que o prémio para o Jornalismo da APAV é atribuído anualmente e tem por objetivo distinguir trabalhos que contribuam para o conhecimento dos temas ou problemas relacionados com o apoio às vítimas de crime em Portugal.

Presentes na cerimónia de entrega, na sala de Âmbito Cultural do El Corte Inglés, em Lisboa, estiveram Catarina Santos, editora do jornal Observador (que colaborou na peça da autoria do jornalista Luís Vaz Fernandes), João Lázaro, Presidente da APAV, e Enrique Hidalgo, Diretor-geral do El Corte Inglés. Ao vencedor foi atribuído um prémio no valor monetário de 1.500 euros, patrocinado pelo El Corte Inglés, e um troféu da autoria do designer Gonçalo Falcão.

Luís Emiliano Vaz Fernandes é licenciado em Jornalismo, pela Escola Superior de Comunicação, onde fez parte do ESCS FM e do E2, da RTP2. Jornalista de multimédia, foca-se sobretudo em peças relacionadas com comunidades imigrantes e com a insegurança e a injustiça económica e social.

About Lúcia Pereira

Licenciada em Relações Internacionais, entrei para a Cision (então Memorandum) em fevereiro de 1998 para realizar um estágio profissional. Entre 1998 e 2009 desempenhei funções sobretudo na área do clipping e edição de texto (Departamento de Produção). Em 2009 fui convidada a ingressar no Departamento de Research e assim responder a um novo desafio e função na empresa - a de Media Researcher.
No meu tempo livre gosto de ir à praia, de caminhar e de séries cómicas, sobretudo gosto do humor inteligente onde a crítica e o elogio às diferentes áreas da sociedade é feito não só com o intuito de nos divertir mas sobretudo de nos fazer pensar "fora da caixa".